Sonolência excessiva diurna: o que causa a compulsão por cochilos frequentes durante o dia?

Comunicação Social da FUNCEF

 

 
sonolencia

 

A sonolência diurna excessiva é uma doença?

 

A sonolência é uma manifestação fisiológica que demonstra a tendência maior em adormecer. Na medida em que ocorre excessivamente durante o dia, como se fosse uma compulsão para dormir, cochilos frequentes ou “ataques súbitos de sono”, passa a ser considerada um sintoma importante e negativo para o bem-estar geral, que deve ser valorizado para o diagnóstico e tratamento de condições clínicas que ainda não foram detectadas.

 

O que causa a sonolência diurna excessiva?

 

Muitas doenças trazem o sintoma, tais como o Hipotireoidismo, os Transtornos Psiquiátricos, o uso de medicamentos ansiolíticos e antidepressivos, dentre várias outras. A ausência de alívio ao repouso ou após o sono, juntamente com a eliminação de condições clínicas subjacentes, nos faz pensar em causas mais específicas, os distúrbios do sono.

 

Alguma doença pode ter como efeito a sonolência diurna excessiva?

 

Vários distúrbios do sono:

• Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS);

• Narcolepsia;

• Síndrome das Pernas Inquietas;

• Síndrome dos Movimentos Periódicos das Pernas;

• Distúrbios do Ritmo Circadiano;

• Hipersonia Recorrente (Síndrome de Kleine-Levin);

• Hipersonia Idiopática;

• Hipersonia Pós-Traumática.

 

Quais são os fatores que influenciam na sonolência diurna?

 

Em nossa sociedade atual adotamos hábitos e estilos de vida inadequados, incompatíveis com uma boa qualidade de sono, priorizando-se o trabalho, o estudo, o lazer noturno, o uso indiscriminado de dispositivos de comunicação (notebooks, celulares), que fazem com que se durma muito tarde e se acorde muito cedo todos os dias, deixando os indivíduos num estado de déficit de sono e sonolência persistentes.

 

Pode acontecer algum “problema maior”? (além da dificuldade no trabalho, etc.)

 

Sim, o risco de acidentes é o maior problema dessa condição patológica, pois deixa o paciente vulnerável a lesões e traumas de variados graus. Os acidentes de trânsito são os mais frequentes, causados por cochilos ou ataques de sono repentinos ao uso do veículo (caminhões, ônibus, carros).

 

Pessoas que trabalham em esquema de plantão são mais propensas a terem este problema?

 

Sem dúvida. Os trabalhadores em turnos, geralmente noturnos ou que iniciam muito cedo o expediente (motoristas, pilotos de avião, médicos, enfermeiros, padeiros, etc.), sobrecarregados por escalas exaustivas, sem repouso adequado, apresentam um quadro de privação crônica de sono. Quando há também ao mesmo tempo outro distúrbio de sono associado, principalmente a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono, ocorre a potencialização dos efeitos adversos da sonolência diurna excessiva.

 

Sonolência diurna tem relação com insônia?

 

Em quadros iniciais de insônia (primeiras semanas) pode haver sonolência diurna como efeito da privação aguda de sono. Na maioria das insônias cronicamente estabelecidas (psicofisiológicas) a queixa de sonolência excessiva diurna não é frequente; a não ser que uma condição clínica ou uso de medicamento estejam associados, o que predomina é a fadiga.

 

Como tratar? Só dormir bem 8 horas por dia resolve?

 

O tratamento da sonolência excessiva diurna passa por uma boa avaliação clínica geral, com ênfase em distúrbios do sono. Cada pessoa tem uma necessidade de sono e isso deve ser individualizado. A maior parte da população requer entre 7 e 8 horas de sono por noite. A quantidade inadequada de sono deve ser abordada com orientações sobre higiene do sono e, se necessário, acompanhamento psicoterápico (Terapia Cognitivo-Comportamental), que serão fundamentais para a correção de hábitos e vícios errôneos, incompatíveis com uma boa noite de sono reparador.

 

Dr. Paulo Marsiglio Neto – CRM DF7608 – é Médico, graduado pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Atua na Secretaria de Saúde – DF e em Clínica Privada. Experiência na Área de Medicina, com ênfase em Medicina Interna (Distúrbios do Sono) e Otorrinolaringologia (Otoneurologia). 
 
  

Escrito por Dr. Paulo Marsiglio Neto    

 

Fonte: Site Uol

TAGS:

3 Comentários

  • Ligia em 21.out.2013

    Nossa, sinto muito sono. Esse artigo me foi muito útil. Obrigado.

  • Francisca Fátima Rodrigues em 28.jan.2014

    Caro Dr. Muito valioso artigo e me ajudou a tirar algumas dúvidas. Meu nome é Francisca Fátima Rodrigues. Sou Diretora de Saúde Ocupacional da Secretária de Estado da Gestão Pública de Alagoas. Sou Assistente Social. Especialista em Saúde Pública de Alagoas. Gostaria de fazer outras consultas. Possível? Obrigada. Abraços

  • Washington B.M. em 02.ago.2014

    Me enquadro na seguinte situação: "A hipersonia idiopática é uma doença primária do sono que tem origem em alguma disfunção do Sistema Nervoso Central (SNC). O distúrbio é caracterizado por sonolência excessiva (SE) verdadeira que começa, geralmente, entre os 15 e 25 anos, de forma insidiosa e progressiva, com consequentes prejuízos significativos na vida do indivíduo. A sonolência excessiva é relatada como uma forte compulsão para dormir, mesmo após um sono de 8 horas ou mais; uma dificuldade de permanecer acordado, principalmente, em ocasiões com pouca movimentação física (ex.: ler, ver televisão, assistir a aulas); e não causada por insônia ou poucas horas de sono." (até aqui foi encontrado no wikipédia) Tenho a necessidade de estudar durante o dia mas tenho muita dificuldade de me concentrar devido ao sono. Consigo me concentrar melhor a noite e não tenho problemas de insónia e nem para dormir. (Hipersonia Idiopática) Como posso resolver?

Formulário de comentários